2 de nov de 2010

Falsos Moralistas

Eu sou a má, a cretina, a perversa. Não agradeço o bem que me fazem, nem ligo pra quem ainda ama a mim, além de tratar mal qualquer um que não mereça. Posso ser cínica e sórdida, ninguém terá nada com isso. Que droga! Me julgam como a ovelha negra da história e se acham o lado bom da laranja. Imbecis! Por que não me apedrejam de vez? Por que não me trancam na jaula dos leões e engolem a porcaria da chave? Por que não colocam fogo na parte boa e pura que ainda existe em mim? Ah, tudo bem! Eu sei que já estão fazendo isso, mas eu não pretendo gastar minhas forças com nenhum ser perfeito. Quero que os falsos moralistas tenham um fim merecido, são piores do que eu, mas o dedo só aponta para mim. Eu já cansei de não poder ser insana. Que vida sem graça a dos que julgam e só veem a vida alheia! Deve ser tão vazia a ponto de levá-los a procurar na dos outros algo interessante. Prefiro que sumam! Sou só e recuso a presença de vocês. " A culpa é minha! Tudo sou eu! " Ah, que saco! Não estou revoltada, nem sou boa parte do que acreditam que eu seja. E se eu for? Só cabe a mim a importância e as consequências disso. Esqueçam-me!

                                    (Autoria: Noanne Campos)

Nenhum comentário:

Postar um comentário