2 de nov de 2010


'' Tua mão a segurar a minha me parece mais belo do que qualquer pôr do sol,  então não solte-a, deixe que a luz das estrelas iluminem e eternizem o momento mais belo existente.  E por favor, não se vá, não deixe a solidão ocupar teu lugar ''

                                                                                      ( Noanne Campos )

Última dose de cigarro

Fácil seria mentir e dizer que fácil será
Fácil será deixar pra outra hora
Aquilo que não se quer lembrar

Fácil, como olhar pros dedos que me desaparecem
Fácil lembrar dos olhos, aqueles que já me esquecem

Refrão:
Desculpe se não vir amanhã
Desculpe se não vir depois
É que pareceu tão difícil
Esquecer aquilo tudo de antes

Desculpe se não (ou)'vir amanhã
Desculpe se não (ou)'vir depois
É que me pareceram tão cegos 
E tão surdos esses que me observam

Difícil, esquecer tua imagem na parede
Difícil, morrer de amor por não ter como matar a sede
Difícil, tentar lembrar o dia e a hora, talvez o mês

Não quero, vou partindo e agora sossegado
Sigo para a linha

Desculpe se não vir amanhã
Desculpe se não vir depois
É que me pareceu 
Tão simples quanto uma última dose de cigarro

Desculpe se não vir amanhã
Desculpe se não vir despois
É que me pareceu
Difícil demais quando tudo era tão simples

           Em primeira mão, nova música do Antônio Augusto da banda Kill The Class
            Tô muito lisongeada por ter sido a primeira a ver, depois do AA, é claro !
                   Eu sou fã e recomendo. Ah, eu ajudei no nome da música, Ó!
                     E a guria na foto ai sou eu com o primeiro cd da Banda : )

Falsos Moralistas

Eu sou a má, a cretina, a perversa. Não agradeço o bem que me fazem, nem ligo pra quem ainda ama a mim, além de tratar mal qualquer um que não mereça. Posso ser cínica e sórdida, ninguém terá nada com isso. Que droga! Me julgam como a ovelha negra da história e se acham o lado bom da laranja. Imbecis! Por que não me apedrejam de vez? Por que não me trancam na jaula dos leões e engolem a porcaria da chave? Por que não colocam fogo na parte boa e pura que ainda existe em mim? Ah, tudo bem! Eu sei que já estão fazendo isso, mas eu não pretendo gastar minhas forças com nenhum ser perfeito. Quero que os falsos moralistas tenham um fim merecido, são piores do que eu, mas o dedo só aponta para mim. Eu já cansei de não poder ser insana. Que vida sem graça a dos que julgam e só veem a vida alheia! Deve ser tão vazia a ponto de levá-los a procurar na dos outros algo interessante. Prefiro que sumam! Sou só e recuso a presença de vocês. " A culpa é minha! Tudo sou eu! " Ah, que saco! Não estou revoltada, nem sou boa parte do que acreditam que eu seja. E se eu for? Só cabe a mim a importância e as consequências disso. Esqueçam-me!

                                    (Autoria: Noanne Campos)

Olhos de Cólera

Olhos fixos e incrédulos, mãos que suam friamente, o corpo está ardente, o coração parece querer explodir. Na garganta um grito preso, uma dor dentro do peito, me sinto fora do plano, uma angustia anda me cercando, me falta a vontade de rir. Observo o teu modo de agir, me mostra ser tão incostante, imaturo e frio. Perco-me no teu charme, mas acordo e sei que é tarde, já não és o mesmo pra mim. Adeus ao teu lindo sorriso, os abraços intermináveis tiverem fim. Foi tudo tão breve e intenso pra mim, doloroso talvez. Não planejei estar aqui sentada a te olhar e sentir essa dor que agora me consome. Confesso que de mim lágrimas querem sair. Sei, não te importarias e dai? Já não ligo pra você e prefiro não te ver. Minha vida mudou e no passado você ficou, tanta paixão que fim levou? Eu já não quero mais saber, prefiro o presente viver, esse que anda me fazendo tão feliz, da extrema alegria estou por um tris. Que sigas melhor, não quero saber como estás. Nenhuma notícia vou receber, sei que vais saber o que fazer e eu vou continuar sem você. Eu que sempre fui tão solitária, me encontro agora mais sem amores do que nunca e isso não é ruim, depositarei essa amor em mim, pois mereço me amar um pouco mais. Estou animada, sigo de página virada, me parece tão belo o caminho a trilhar. Estrelas que brilham tão fortes, pessoas que me amam ao redor, sem sofreres vou por onde for. Rancores nunca levei, amores pra trás deixei, aprendo tanto apesar dos apesares. Carrego um sorriso que nunca abandonei, ele é a minha marca, não o largarei. Nossas fotos não revelei, pra ser honesta, as apaguei junto com as mensagens que de ti recebia. Te perder foi como um "balde d'água fria", me gelou por dentro, mas chega de lamentos, não preciso mais lembrar. 

                                   (Autoria: Noanne Campos)

Desapego


Cansada de mentiras e encantos, não vou mais enxugar teus prantos. Chorei diversas vezes calada pra ninguém escutar, preciso da liberdade de poder gritar. Chega de sonhos esmagados por promessas não concretas, deixei teu cheiro ir embora por aquela janela. A porta fechou e as lágrimas secaram, digamos que as lembranças no passado ficaram. Então esqueça que um dia estive aqui, quero na saudade pôr fim. Esqueci de regras que eu mesma criei, larguei tudo pra viver uma história com final que eu nem sei. No fundo isso torna tudo mais sofrido, mas um dia estará resolvido. É possível que os nossos caminhos não se cruzem mais, pode ser que o melhor seja sair sem dizer ''bye''. Isso é o reflexo das feridas que ganhei nesse labirinto, onde encontrar a saída se torna cada vez mais difícil, a chave é não se envolver, é evitar me perder em você. Momentos, lembranças, coisas deixadas pra trás, era um sonho que agora não existe mais. Vá agora, feche a porta, eu mesma farei essas lágrimas sairem do meu rosto. Sem resposta ficaram os que me perguntarem sobre você e os que tiverem o que contar, eu não vou escutar. Sejamos honestos, essas farças já nem enganam. Acabou a graça do jogo, é apenas o silêncio que invade a sala e torna as memórias um poço sem escada pra subir. Vá logo, preciso descançar, curar essas dores que ocuparam teu lugar. Estava só, mas em paz antes de você chegar. Por que veio? Vá, já está na hora disso finalizar. Vá e por favor, não volte!

                     (Autoria: Noanne Campos)

No fim da história

Nessa história, cada um conta o fim que lhe convém e segue o caminho que parece mais cabível. Me aparente ser uma espécie de competição para premiar o " forte ", mas na realidade todos saem perdendo e mostram que ainda não sabem amar, são fracos e imaturos. Mal se falam, raramente se olham, excluem um ao outro do " seu mundo ". Deixaram de viver um bom relacionamento pra viver nenhum. Ela era insensível, sem amores e preferia não ter um alguém para não sofrer pro ninguém. Temperamento forte e cheia de amigos, aquela garota que muitas pessoas conhecia, descobriu em alguém fora da sua memória algo novo em si. Ele era belo, carinhoso e engraçado. O jeito calmo deixava transparecer que tudo era formidável. Foram ótimos momentos, apesar dos conflitos. Eles tinham pensamentos e experiências diferentes. Rumos ligados que agora se desligam. Do que adiantava os outros dizerem que nada daria certo? O querer deles era maior que isso. A pergunta que fica é: "Será que hoje em dia ainda existe final feliz ?". Talvez, mas se torna cada vez mais dificíl, pelo menos para ela, acreditar nisso. Ao lado dele foi despertado nessa menina um bom sentimento, foi imenso o carinho sentido. Mas a calmaria teve fim, agora são só lembranças raramente vistas. Também houve bons frutos, os amigos compartilhados. Ele tem um novo alguém, ela segue sem ninguém, isso muito vai mudar. Vão crescer, amadurecer e outros amores viver. Nem cartomante prevê como esse futuro seguirá. 

                                 ( Autoria: Noanne Campos)