23 de jun de 2011

Charlie Brown

Palavras do João Paulo

Minhas palavras são tão mudas e minhas conversas tão vazias, porque quando estou perto de você eu quero falar do meu sentimento, desse amor que entrou no meu coração e o tomou conta de mim, queria falar de todas as coisas mais simples que se passaram no meu dia a dia para te sentir cada vez mais perto de mim, mas por mais que eu tente não consigo abrir meu coração completamente, porque só eu conheço a dor de não acreditar que mereço ser feliz e te olhando eu encontro todos os meus medos, minha indecisão e minha insegurança e mesmo te amando não fico seguro, não sei se você é minha verdade ou apenas mais uma ilusão, por isso, eu fujo da dor, do medo e do pavor da solisão.  Me perdoa! Por que algum dia duvidei de você. Porém mesmo te amando tanto, se em algum dia, em algum lugar, em algum momento eu sentir você mesmo que por um só segundo longe de mim, te deixarei livre para ser feliz em outros braços e com outros beijos e desejos.

 -

No dia em que te vi, me senti tolo, infantil e extremamente envergonhado. Teu jeito e tua voz entraram pelos meus olhos e pelos meus ouvidos como algo inexplicável, mas que parecia ser de muito tempo ou de sempre. Tentei não dar asas à ilusão que já me fizera sofre muito.  Então, teus olhos me viram, tentei evitar o inevitável, porém me apaixonei por eles, por ti e teus passos, calculados, me encontraram na multidão e nos apaixonamos como se fosse ao acaso e então não consegui mais te tirar da minha vida, me perdi em tuas palavras, fui me envolvendo no teu coração e minha alma se unindo a sua e hoje já não sei como era minha vida antes de te conhecer, talvez porque ela nunca tenha existido antes de você.


Textos de autoria do meu amigo João Paulo, obg por permitir os posts querido *-*